7 fatos sobre o corpo da mulher que os homens não sabem


Mulheres podem ser misteriosas, interessantes e complicadas. Mas o que poucos sabem é que além de tudo isso as mulheres escondem verdadeiras curiosidades em seu corpo. Você sabia, por exemplo, que mulheres e tubarões têm algo em comum? Ou que a aversão feminina às aranhas pode ter origem genética? O site Huffington Post listou alguns desses fatos desconhecidos sobre o corpo feminino que deixaria qualquer marmanjo de boca aberta. Confira!


O órgão sexual feminino e tubarões têm algo em comum, sabia?


O lubrificante natural da vagina é composto de sebo, suor, muco cervical, células descamadas, ureia, ácido acético e láctico, álcoois complexos, cetonas e esqualeno. Segundo Lissa Rankin, especialista em medicina integrativa, essa última substância não é exclusiva aos seres humanos. O composto orgânico também é encontrado no fígado de tubarões. Além disso, o esqualeno dos tubarões pode ser utilizado na fórmula de cremes hidratantes e na proteção das células humanas aos efeitos nocivos das drogas da quimioterapia.


Mulheres ouvem com os dois lados do cérebro


De acordo com pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Indiana as mulheres usam tanto o lado esquerdo do cérebro, área normalmente associada à audição e fala quanto o lado direito, responsável pela criatividade e expressão, quando foram submetidas a um teste em que ouviram uma passagem de um romance de John Grisham. Já os homens apresentaram atividade cerebral exclusivamente no lado esquerdo do cérebro.

Mulheres tendem a parecer mais jovens em fotos do que homens

Apesar de perderam colágeno na pele muito mais rápido do que os homens, graças as alterações hormonais, as mulheres sempre tendem a parecer mais jovens, principalmente em fotografias. Isso acontece, segundo a pesquisadora Patrícia Barnes-Sverney, pois a pele dos homens é mais espessa e mais propensa a mostrar linhas de expressão e manchas da idade. Outros pontos negativos para eles são as agressões contínuas causadas pela lâmina de barbear e o hormônio testosterona, que pode fazer a pele parecer mais oleosa.



Hormônios femininos podem determinar o melhor momento de ir ao dentista


O estrógeno torna a boca feminina mais apta a procedimentos dentários em determinados momentos do ciclo menstrual. Em determinados momentos arrancar um dente, por exemplo, pode ser mais dolorido e ter mais riscos de infecção. O recomendado é agendar esse tipo de procedimento na última semana do ciclo, entre o dia 23 e 28, quando os níveis de estrógeno são mais baixos. Já durante a gravidez as alterações no estrógeno aumentam os riscos de inchaço na gengiva.

A aversão feminina a aranhas pode ser genética

Pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon mediram as reações instintivas a insetos mostrando fotos de aranhas e ilustrações de rostos sorridentes e expressões negativas a bebês de 11 meses. Com isso, eles descobriram que as meninas aprenderam mais rapidamente a associar a imagem das aranhas a expressões faciais negativas. A suposição apresentada é de que mulheres tenham evoluído para serem cuidadosas com aranhas, cobras e outras criaturas venenosas como forma de proteger os filhos. O mesmo não aconteceria com os homens, que estavam mais acostumados a caçar, por exemplo.

Mulheres tendem a ter mais problemas digestivos

Embora mulheres e homens tenham a mesma base de sistema digestivo, a porção inferior do cólon, chamado sigmoide, tende a ser maior no corpo feminino. Segundo a gastroenterologista Cynthia Yoshida, esse fator associado ao fato delas possuírem órgãos reprodutivos, faz com que o sistema digestivo das mulheres não tenha tanto espaço para expandir quando há excesso de gases ou de comida.

Pelos pubianos femininos não crescem muito

Segundo a especialista em medicina integrativa, os pelos pubianos femininos tendem a cair após apenas três semanas de seu surgimento. Quando comparado a expectativa de vida do cabelo feminino, por exemplo, o número é inexpressivo, já que um fio pode crescer por até sete anos.






Fonte: Bonde